30 de ago de 2012

Curso EAD do Observatório Nacional


Respondendo aos interessados no curso EAD sobre “Magnetismo da Terra”:


  • O curso é gratuito;
  • Não é necessário qualquer conhecimento prévio sobre geofísica ou ciências exatas;
  • Basta interesse no assuntos abordados;
  • Inscrições a partir de 03 de setembro no site do Observatório Nacional;
  • Para inscrever-se basta acessar o site do curso que estará disponível na data acima.

Na data de abertura das inscrições divulgaremos o site do curso.

Aguardem!

O curso foi dividido em quatro módulos e sua duração é de aproximadamente quatro meses.
Esperamos que o “Magnetismo da Terra” desperte seu interesse e curiosidade!

Atenção: Não faremos inscrições por meio de nosso Blog.









29 de ago de 2012

"Magnetismo da Terra" o novo EAD do Observatório Nacional



Esse é o primeiro curso a distância em geofísica oferecido pelo Observatório Nacional. O objetivo principal é a divulgação científica sobre o campo magnético da Terra.

O curso é gratuito e não é necessário qualquer conhecimento prévio sobre geofísica ou ciências exatas. Basta estar interessado em assuntos como: observações do campo magnético da Terra no passado, observações atuais por satélites, geração do campo magnético no interior da Terra, manchas solares, tempestades magnéticas, etc.

Inscrições de 03 de setembro ao dia 12 de novembro de 2012 no site do Observatório Nacional.

O curso foi dividido em quatro módulos e sua duração é de aproximadamente quatro meses.

Esperamos que o “Magnetismo da Terra” desperte seu interesse e curiosidade! 


Clique na imagem para ampliar


21 de ago de 2012

"Por que estudar supercordas?" - Seminário no Observatório Nacional


Seminário Especial da Pós-graduação do Observatório Nacional

"Por que estudar supercordas?"

Prof. Nathan Berkovits (Instituto de Física Teórica -UNESP) 
Dia 23 de agosto de 2012 - 15h 
Local: Observatório Nacional
Rua General José Cristino 77 - São Cristóvão/RJ



20 de ago de 2012

Coral ON/MAST na Semana Nacional da Família 2012

No dia 17 de agosto o Coral ON/MAST apresentou-se na Paróquia dos Sagrados Corações, na Tijuca. O Encontro de Corais fez parte da comemoração pela Semana Nacional da Família 2012. 

Participaram do encontro:

Coral do IBGE
Coral ON/MAST
Coral Tijucano
Coral Vozes de Vida
Grupo Coral Vozerio
Schola Gregoriana Fluminensis
Coral O Encontro


Apresentação completa


Regente: Marcio Carvalho. 
Músicas: Siyahamba, Agradeço-te Senhor, 
Suite do Pescador, Andança e Berimbau. 
Imagens: Jade Penalva.

Canal do Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=AvDwQXap-3I






16 de ago de 2012

Observatório Nacional prorroga prazo de inscrição para concurso



Os candidatos podem se inscrever até o dia 10 de setembro. 
Há vagas para pesquisador, tecnologista e técnico

As inscrições para o concurso público do Observatório Nacional foram prorrogadas até o dia 10 de setembro. Ao todo, são 7 vagas para pesquisador, 7 para tecnologista e 9 para técnico.

Para pesquisador, os candidatos devem ter doutorado e as vagas são para a área de astronomia e geofísica. Para tecnologista, há vagas para a área de metrologia em tempo e frequência, geofísica e tecnologia da informação. Já para técnico, os candidatos devem ter formação em informática, mecânica, eletrônica ou mecatrônica.

Os editais foram publicados no Diário Oficial da União (DOU) no dia 4 de junho e estão disponíveis na página do ON na internet (http://www.on.br/concurso_2012/).



15 de ago de 2012

Pesquisadora do Observatório Nacional faz palestra no Encontro Regional de Ensino de Astronomia


A pesquisadora Katia Pinheiro, da Coordenação de Geofísica do Observatório Nacional (ON), proferiu palestra no XXXII Encontro Regional de Ensino de Astronomia (EREA), sexta-feira, dia 10 agosto. Com o tema “A importância do Observatório Magnético de Vassouras”, a pesquisadora apresentou o trabalho dessa unidade, que integra a Rede Brasileira de Observatórios Magnéticos (REBOM), voltada ao monitoramento do campo magnético em áreas selecionadas do território brasileiro. 

O EREA foi realizado de 7 a 11 de agosto, na cidade de Vassouras, simultaneamente à 6ª Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA). O encontro tem por objetivo a capacitação dos professores de educação básica e visa aproximar os docentes dos astrônomos profissionais e pesquisadores da área. 




Observatório Magnético do ON recebe estudantes durante a Semana de Astronomia de Vassouras


Durante a 6ª Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA), a cidade de Vassouras/RJ, onde aconteceu a competição, realizou a Semana de Astronomia, voltada ao público geral, com diversas atividades gratuitas. 


Estudantes do Colégio de Aplicação visitaram o Observatório Magnético de Vassouras
na quarta-feira, dia 8 de agosto.


O Observatório Magnético de Vassouras, unidade do Observatório Nacional destinada a estudos de monitoramento do campo magnético da Terra, recebeu estudantes das escolas da região para visitas guiadas. Os técnicos responsáveis pela unidade apresentaram aos visitantes a estrutura existente, o funcionamento dos equipamentos atuais de medição e também os antigos instrumentos, já não mais utilizados, que integram o acervo local. 


O responsável pelo Observatório Magnético de Vassouras, Alberto Geraldo Faria dos Santos, explica as atividades aos alunos do Centro Educacional Maria Aparecida Rocha Barbosa.



Visitante observa equipamentos usados para medições do campo magnético.



Alunos da Escola Estadual Thiago Costa estiveram no OMV na quinta-feira, dia 9 de agosto.


Crédito das fotos: 
Alberto G. F. dos Santos e
Márcio Paulo Maia Tavares




Estudante da Lituânia vence a Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica


A solenidade de entrega das medalhas foi realizada no campus do
Observatório Nacional/MAST, nesta segunda-feira, dia 13 de agosto



O diretor do Observatório Nacional, Sergio Luiz Fontes, a diretora do MAST, Maria Margaret Lopes, o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, a presidente do comitê local da IOAA, Thais Mothé-Diniz, e o presidente da IOAA, Chatief Kunjaya, durante a execução do Hino Nacional Brasileiro.


A 6ª Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA), primeira olimpíada científica de nível mundial realizada em solo brasileiro, terminou nesta segunda-feira, dia 13 de agosto. A cerimônia de encerramento foi realizada no campus do Observatório Nacional (ON) e do Museu de Astronomia (MAST), em São Cristóvão, Rio de Janeiro.



Em seu discurso, o diretor do Observatório Nacional, Sergio Luiz Fontes, 
destacou a importância dos estudantes para o avanço da ciência.


O primeiro lugar da IOAA 2012 ficou com o estudante da Lituânia Montiejus Valiunas, que também levou o troféu de “melhor análise de dados” e o título de “campeão absoluto” da competição. O prêmio de melhor equipe ficou com a China. O Brasil conquistou duas medalhas de prata, uma de bronze e seis menções honrosas. 


O estudante Montiejus Valiunas, da Lituânia, é premiado “campeão absoluto” da 6ª IOAA

As provas da 6ª IOAA aconteceram na cidade de Vassouras, a 120 quilômetros do Rio de Janeiro. Realizada em parceria por 11 instituições, entre elas o Observatório Nacional, a IOAA reúne alunos de ensino médio, entre 14 e 18 anos. Ao todo, participaram da competição cerca de 160 estudantes, representando 27 países. 

A próxima edição da Olimpíada acontece em Volos, na Grécia, de 25 de julho a 5 de agosto de 2013.







Mapa do Universo oferece novas pistas sobre matéria escura


O projeto Sloan Digital Sky Survey III (SDSS-III) divulgou, no dia 8 de agosto, o maior mapa tridimensional já feito de galáxias massivas e buracos negros distantes. Isso vai ajudar os astrônomos a explicar os mistérios da matéria e da energia escuras, que correspondem a cerca de 96% do que existe no Universo. A imagem faz parte do Data Release 9 (DR9), etapa que concentra o primeiro terço dos dados previstos para divulgação até 2014.

A participação do Brasil no projeto é coordenada pelo Laboratório Interinstitucional de e-Astronomia – formado pelo Observatório Nacional (ON), Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) e Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC).

O DR9 é o mais recente de uma série de divulgação de dados que começou em 2001. Ele inclui novos dados da Baryon Oscillation Spectroscopic Survey (BOSS), que vai medir a posição de 1,5 milhão de galáxias massivas nos últimos 7 bilhões de anos em tempo cósmico, bem como de 160 mil quasares – buracos negros gigantes se alimentando ativamente de estrelas e gás - distantes até 12 bilhões de anos. O BOSS mira nessas galáxias grandes e brilhantes porque elas vivem no mesmo lugar que outras galáxias e são fáceis de detectar, mesmo distantes. Mapear essas galáxias, portanto, é um meio efetivo de mapear o resto das galáxias do universo.

Com um mapa desses, os cientistas podem montar a história do Universo nos últimos 7 bilhões de anos. Com essa história, é possível ter melhores estimativas de quanto do universo é feito de matéria escura – que não pode ser diretamente vista por não emitir ou absorver luz – e de energia escura – força misteriosa responsável pela aceleração da expansão do Universo.

 O mapa do Universo é a peça central do DR9, que inclui imagens de 200 milhões de galáxias e espectros de 1,35 milhão, dentre as quais 540 mil de quando o Universo tinha a metade da idade que tem hoje.

Sobre o SDSS-III – O Sloan Digital Sky Survey foi o projeto que, no início de 2011, divulgou a maior imagem já feita do universo. Ela levou uma década para ser montada e possui mais de um trilhão de pixels, o que significa que seriam necessárias 500 mil TVs Full HD, uma ao lado da outra, para visualizá-la na sua resolução máxima (http://www.youtube.com/watch?v=HyMnSyYE1b0). A imagem fez parte da oitava divulgação de dados do projeto (Data Release 8).







Observatório Nacional prorroga prazo de inscrição para concurso



Os candidatos podem se inscrever até o dia 10 de setembro.
Há vagas para pesquisador, tecnologista e técnico.

As inscrições para o concurso público do Observatório Nacional foram prorrogadas até o dia 10 de setembro. Ao todo, são 7 vagas para pesquisador, 7 para tecnologista e 9 para técnico. 

Para pesquisador, os candidatos devem ter doutorado e as vagas são para a área de astronomia e geofísica. Para tecnologista, há vagas para a área de metrologia em tempo e frequência, geofísica e tecnologia da informação. Já para técnico, os candidatos devem ter formação em informática, mecânica, eletrônica ou mecatrônica.

Os editais foram publicados no Diário Oficial da União (DOU) no dia 4 de junho e estão disponíveis na página do ON na internet (http://www.on.br/concurso_2012/).









14 de ago de 2012

Ministro Marco Antonio Raupp participa da abertura do Congresso ABIPTI 2012


GESTÃO C&T

Raupp abrirá o Congresso ABIPTI 2012. Foto: Valter Campanato/Abr 

Começa hoje (14), o Congresso ABIPTI 2012, no San Marco Hotel, em Brasília (DF), a partir das 19h. O evento terá transmissão ao vivo nos sites www.abipti.org.br e www.agenciacti.com.br.

O ministro da CT&I, Marco Antonio Raupp, abrirá o evento com uma palestra sobre a importância das entidades de pesquisa, desenvolvimento e inovação (EPDIs) na política de inovação nacional. O ministro também apresentará possíveis alternativas para fortalecer os institutos responsáveis pela aproximação das empresas com as universidades.

Também participarão da abertura, ao lado da presidente da ABIPTI, Isa Assef dos Santos, os presidentes do CNPq, Glaucius Oliva; da Finep, Glauco Arbix; do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, Mariano Laplane; da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, Helena Nader; da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas, Antonio Carlos da Silva; do Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I (Consecti), Odenildo Sena; do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), Mario Neto Borges; a superintendente executiva da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), Sheila Pires; os secretários executivo e de inovação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Alessandro Teixeira e Nelson Fujimoto; e o vice-presidente da ABIPTI pela região Centro-Oeste e presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Pedro Arraes.

O Congresso ABIPTI 2012 abordará o tema “Tecnologia para um Brasil inovador e competitivo” e será realizado até o dia 16 de agosto. Além de debates sobre o marco legal da inovação e a importância dos institutos de pesquisa na aproximação das universidades com o setor produtivo, serão apresentados cerca de 40 trabalhos científicos em torno do tema central do congresso.

Informações sobre o congresso no site www.abipti.org.br/congresso2012.






6 de ago de 2012

Robô Curiosity pousa com sucesso em Marte

Redação do Site Inovação Tecnológica 

As primeiras imagens de Marte feitas pelo robô Curiosity. À esquerda, a sombra do robô. À direita é possível ver uma das suas seis rodas. Na porção superior da imagem da direita é possível ver que a lente ficou suja, mesmo com a capa de proteção, agora já removida. Isto que mostra que a descida deve ter levantado mais poeira do que o esperado.[Imagem: NASA] 


17 câmeras

Eram 02h31 desta madrugada, no horário de Brasília, quando os engenheiros da NASA receberam o sinal definitivo de que o robô Curiosity estava em segurança no solo de Marte.

Ainda que tudo tivesse acontecido 20 minutos antes no planeta vermelho, toda a equipe acompanhou em suspense os sinais de que cada etapa dos chamados "sete minutos de terror" ia sendo completada com sucesso.

A descida pela atmosfera do planeta, após uma viagem de 570 milhões de quilômetros desde a Terra, foi chamada de "sete minutos de terror" por conta das manobras de alto risco que reduziram a velocidade da nave, de 20 mil km/h para apenas 1 m/s, o que permitiu que as rodas do jipe-robô tocassem a superfície da cratera Gale suavemente.

Logo a seguir, chegaram as primeiras imagens em baixa resolução, mostrando a sombra do robô no solo e uma panorâmica em visão olho de peixe.

Imagens coloridas e alta resolução deverão se seguir, à medida que os técnicos conferem se tudo está funcionando devidamente - o Curiosity possui 17 câmeras.


Espera-se que o robô de quase 1 tonelada trabalhe em Marte por pelo menos 10 anos. [Imagem: NASA/BBC] 

Laboratório marciano

Agora começa a primeira fase da missão MSL (Mars Science Laboratory), ou Laboratório Científico de Marte: o robô Curiosity possui a bordo um laboratório completo, onde serão analisadas as amostras recolhidas por seu braço robótico.

Essa primeira fase tem duração prevista de 98 semanas, mas a expectativa é que o robô continue suas pesquisas por cerca de uma década.

O robô Opportunity está trabalhando em Marte há 8,5 anos. Seu irmão-gêmeo Spirit trabalhou por 7,5 anos, até ser desativado em Maio de 2011, depois de ficar preso em uma pedra.

A grande vantagem do Curiosity é a sua alimentação por energia atômica. Seus geradores a plutônio permitirão que ele explorar Marte 24 horas por dia, não precisando também precisar diminuir o ritmo durante o inverno, que afeta a geração de energia pelos painéis solares dos outros robôs.

A missão que enviou o jipe-robô Curiosity a Marte custou US$ 2,5 bilhões e durou 10 anos. Outros 10 anos de ciência marciana renderão frutos de valor inestimável.




2 de ago de 2012

Aristóteles e Higgs: uma parábola

Folha de São Paulo
MARCELO GLEISER


A ciência não é infalível, mas é o melhor método que temos para aprender como o mundo funciona

ARISTÓTELES E Peter Higgs entram num bar. Higgs, como sempre, pede o seu uísque de puro malte. Aristóteles, fiel às suas raízes, fica com um copo de vinho.

"Então, ouvi dizer que finalmente encontraram", diz Aristóteles, animado. "É, demorou, mas parece que sim", responde Higgs, todo sorridente. "Você acha que 40 anos é muito tempo? Eu esperei 23 séculos!" "Como é?", pergunta Higgs, atônito. "Você não acha que..."

"Claro que acho!", corta Aristóteles. "Você chama de campo, eu de éter. No final dá no mesmo, não?"

"De jeito nenhum!", responde Higgs, furioso. "O seu éter é inventado. Eu calculei, entende? Fiz previsões concretas."

"Vocês cientistas e suas previsões...", diz Aristóteles. "Basta ter imaginação e um bom olho. Você não acha que o meu éter é uma excelente explicação para o que ocorre nos céus?"

"Talvez tenha sido há 2.000 anos. Mas tudo mudou após Galileu e Kepler", diz Higgs.

Aristóteles olha para Higgs com desprezo. "Você está se referindo a esse 'método' de vocês, certo?"

"O método científico, para ser preciso", responde Higgs, orgulhoso. "É a noção de que uma hipótese precisa ser validada por experimentos para que seja aceita como explicação significativa de como funciona o mundo."

"Significativa? A minha filosofia foi muito mais significativa para mais gente e por muito mais tempo do que sua ciência e o seu método."

"É verdade, Aristóteles, suas ideias inspiraram muita gente por muitos séculos. Mas ser significativo não significa estar correto."

"E como você sabe o que é certo ou errado?", rebate Aristóteles. "O que você acha que está certo hoje pode ser considerado errado amanhã." "Tem razão, a ciência não é infalível. Mas é o melhor método que temos para aprender como o mundo funciona", responde Higgs.

"Nos meus tempos bastava ser convincente", reflete Aristóteles com nostalgia. "Se tinha um bom argumento e sabia defendê-lo, dava tudo certo", continuou. "As pessoas acreditavam em você, mas não era fácil. A competição era intensa!" "Posso imaginar", responde Higgs. "Ainda é difícil. A diferença é que argumentos não são suficientes. Ideias têm que ser testadas. Por isso a descoberta do bóson de Higgs é tão importante."

"É, pode ser. Mas no fundo é só um outro éter", provoca Aristóteles.

"Um éter bem diferente do seu", responde Higgs. "E por quê?", pergunta Aristóteles. "Pra começar, o campo de Higgs interage com a matéria comum. O seu éter não interage com nada."

"Claro que não! Era perfeito e eterno", diz Aristóteles.

"Nada é eterno", rebate Higgs.

"Pelo seu método, a menos que você tenha um experimento que dure uma eternidade, é impossível provar isso!", afirma Aristóteles.

"Touché, você me pegou", admite Higgs. "Não podemos saber tudo." "Exato", diz Aristóteles. "E é aí que fica divertido, quando a certeza acaba." "Parabéns pela descoberta do seu éter", diz Aristóteles.

"Existem muitos tipos de éter", afirma Higgs. "E muitos tipos de bósons de Higgs", retruca Aristóteles.

"É, vamos ter que continuar a busca." "E o que há de melhor?", completa Aristóteles, tomando um gole.

MARCELO GLEISER é professor de física teórica no Dartmouth College, em Hanover (EUA), e autor de "Criação Imperfeita". Facebook:goo.gl/93dHI




 

1 de ago de 2012

Encontro Regional de Ensino de Astronomia acontece em Vassouras

Entre os dias 7 e 11 de agosto, a cidade de Vassouras também sedia o XXXII Encontro Regional de Ensino de Astronomia (EREA), voltado à capacitação dos professores de educação básica. O evento, realizado simultaneamente à IOAA, visa aproximar os docentes dos astrônomos profissionais e pesquisadores da área. O encontro é aberto também a alunos de graduação e ao público interessado no assunto.

As inscrições podem ser feitas pelo site http://www.uss.br/page/ereaxxxii/, onde também está a programação completa do EREA.

Semana de Astronomia movimenta cidade de Vassouras, sede da IOAA

Durante a 6ª Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA), a cidade de Vassouras/RJ, onde acontece a competição, realiza a Semana de Astronomia, voltada ao público geral. De 7 a 11 de agosto, diversas atividades gratuitas movimentarão a cidade. A abertura oficial será com o astronauta Marcos Pontes, que fará uma palestra no ginásio da Universidade Severino Sombra, às 18h.


Confira a programação por local:


Universidade Severino Sombra
7 de agosto, às 18h: Palestra com o astronauta Marcos Pontes e sessão solene de abertura do Encontro Regional de Ensino de Astronomia


Casa de Cultura de Vassouras
7 a 11 de agosto, das 10h às 18h: Exposição de Astronomia Indígena
9 e 10 de agosto, às 10h e às 11h: Palestra “O céu tupi-guarani”, com o professor Germano Bruno Afonso, do Museu da Amazônia


Observatório Magnético de Vassouras
8 a 10 de agosto, às 10h e às 15h: Visita guiada


Praça Eufrásia Teixeira Leite
7 a 10 de agosto, às 15h e às 20h: Mostra de filmes científicos
11 de agosto, às 10h e às 15h: Apresentação da Orquestra Sinfônica Jovem Regional do Programa de Integração pela Música (PIM)

Instituto de Educação Thiago Costa
7 a 10 de agosto, das 10h às 18h: Planetário inflável e experimentos interativos

Rua Abreu Cesar
7 a 10 de agosto, das 10h às 18h: Caravana da Ciência do Cecierj


Palacete Barão de Itambé
7 a 11 de agosto, das 10 às 18h: Exposição de meteoritos


Estudantes do mundo inteiro chegam ao Brasil para disputar a Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica


A abertura oficial da IOAA acontece no próximo dia 6, no Planetário da Gávea. As provas serão realizadas em Vassouras/RJ, de 7 a 12 de agosto



Na próxima segunda-feira, dia 6 de agosto, tem início a 6ª Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA), primeira olimpíada científica de nível mundial realizada em solo brasileiro. A cerimônia oficial de abertura acontece às 10 horas, no Planetário da Gávea, na zona sul do Rio de Janeiro. A IOAA acontece de quatro em quatro anos. No Brasil, está sendo realizada em parceria por 11 instituições, entre elas o Observatório Nacional.

A competição reúne estudantes dos cinco continentes e as provas serão realizadas no município de Vassouras/RJ, de 7 a 12 de agosto. A solenidade de encerramento e entrega das medalhas às equipes vencedoras será no dia 13, no campus do Observatório Nacional, em São Cristóvão, no Rio de Janeiro.

Ao todo, mais de 200 estudantes e 60 professores de 30 países participam da IOAA. Como país sede, o Brasil tem direito a duas equipes, integradas por alunos selecionados a partir da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), realizada em maio.

Nesta competição, reconhecida pela União Astronômica Internacional (IAU), a associação mundial dos astrônomos profissionais, os equipamentos são telescópios, calculadoras, muita criatividade e aplicação. 

Todos os estudantes farão, como nas outras edições, três modalidades de prova: observacional, na qual demonstram seus conhecimentos sobre o céu; teórica, resolvendo problemas de astronomia e astrofísica; e prova prática, na qual utilizam e interpretam dados como um astrônomo profissional.















Inscrições para concurso do Observatório Nacional

Vagas para pesquisador, tecnologista e técnico

 
As inscrições para o concurso público do Observatório Nacional podem ser feitas até o próximo dia 10 de agosto. Ao todo, são 7 vagas para pesquisador, 7 para tecnologista, e 9 para técnico. 

Para pesquisador, os candidatos devem ter doutorado e as vagas são para a área de astronomia e geofísica. Para tecnologia, há vagas para a área de metrologia em tempo e frequência, geofísica e tecnologia da informação. Já para técnico, os candidatos devem ter formação em informática, mecânica, eletrônica ou mecatrônica.

Os editais foram publicados no Diário Oficial da União (DOU) no dia 4 de junho e estão disponíveis na página do ON na internet (http://www.on.br/concurso_2012/).