24 de jul de 2012

Homenagens e apresentações culturais marcaram a abertura da Reunião Anual da SBPC


JC e-mail 4545, de 23 de Julho de 2012.  
   
A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) começa mais uma edição de seu encontro anual com festa, mas também com homenagens a quatro ex-diretores da entidade que deixaram saudades em todos. A 64ª Reunião Anual da SBPC é dedicada a: Aziz Ab´Saber, Gilberto Velho, Luiz Edmundo Magalhães e Antônio Flavio Pierucci. Essas perdas irreparáveis que a ciência nacional sofreu neste mesmo ano foram e serão sempre lembradas por todos que fazem parte da SBPC.

Outro cientista homenageado na cerimônia de abertura do encontro, realizada na noite de domingo (22), foi o maranhense Renato Archer pela sua atuação em prol da ciência brasileira. O vice-reitor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Antonio Oliveira, entregou ao irmão do cientista, Remy Archer, uma placa comemorativa. Entre outros feitos, Archer é conhecido por sua atuação como primeiro ministro de Ciência e Tecnologia do País e por seus esforços para colocar a ciência na pauta política. Renato Archer completaria 90 anos no dia 10 de julho de 2012.

O reconhecimento à contribuição destes grandes cientistas para o País foi destacado nos discursos da cerimônia de abertura. E como eles mesmos gostariam que fosse, a ciência não para e a 64ª Reunião Anual da SBPC começou com uma grande festa acadêmica e cultural. Integrando as comemorações dos 400 anos da cidade de São Luís, a diversificada cultura regional teve lugar de destaque na solenidade.

As atividades paralelas à programação científica nas reuniões da SBPC costumam atrair um grande público. Neste ano, os presentes na cerimônia de abertura do encontro puderam ter uma mostra do que irá acontecer nas atividades culturais programadas para esta semana. O evento começou com uma apresentação do Cortejo do Divino Espírito Santo do Maranhão, grupo folclórico da cidade de Alcântara que realiza cortejos nas ruas das cidades em todo o estado há mais de 100 anos. Mulheres negras com tambores de caixa fizeram uma bela performance para os convidados.

Outra apresentação foi um recital, de voz e violão, em homenagem ao poeta maranhense José Chagas. O violonista João Pedro Borges encantou a plateia com canções e explicações sobre o movimento dos poetas quatrocentistas de São Luís. O coral da UFMA entoou o hino nacional do Brasil e a canção em Louvor à São Luís. Regidos pela professora Angelica Vieira, o coral cantou também o hino da UFMA. O autor da canção, Gabriel Veloso Costa, estudante de música da universidade que venceu um concurso promovido pela reitoria, também estava presente. Ao final, depois de todos os pronunciamentos, uma apresentação do bumba-meu-boi maranhense encerrou de maneira colorida a cerimônia.

Prêmio - Durante a abertura, também foi entregue o 32º Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica 2012 para a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), de Pernambuco. O ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, e o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, entregaram o prêmio ao presidente da Fundação, Fernando José Freire. Criada em 1949, a Fundaj foi premiada por sua contribuição à preservação e difusão de valores científicos e culturais.

Manifestação - Nem mesmo a manifestação de um grupo de grevistas conseguiu atrapalhar a abertura do evento. Com faixas, apitos e gritos de protesto, representantes de movimentos sindicais fizeram uma manifestação no início da solenidade. O representante da Central Sindical Popular teve a palavra e explicou que a intenção não era "atrapalhar a SBPC, pelo contrário, a nossa intenção é que o Brasil inteiro saiba que mais de 58 universidades do Pais estão paradas", destacou em sua fala. Eles pedem maior empenho do governo na negociação sobre a greve de professores e técnicos de universidades federais que já dura cerca de dois meses. "A nossa intenção é mostrar que temos o apoio de diversas entidades de várias instituições públicas", destacou.

A presidente da SBPC, Helena Nader, declarou solidariedade à manifestação e enfatizou que o movimento é de todos. "Nós que estamos aqui também somos docentes, somos funcionários de educação, somos de universidades federais e somos estudantes. Nós temos todos juntos a mesma reivindicação". Helena ressaltou ainda a luta da SBPC pela melhoria da Educação e sublinhou o esforço da entidade "nos corredores do Congresso" na campanha nacional pela educação que resultou na aprovação dos 10% de investimento do PIB na área, e fez um apelo aos manifestantes: "Não vamos deixar que o nosso movimento que é justo, que as reivindicações que são justas, sejam encaradas pela mídia como reivindicações de um grupo que está atrapalhando um outro grupo, quando não é isso, estamos juntos", destacou.

(Jornal da Ciência)



Nenhum comentário:

Postar um comentário