8 de mar de 2013

Buraco negro fica 'obeso' porque come tudo de uma vez

Salvador Nogueira Colaboração para a Folha


Aparentemente, os buracos negros gigantes no centro das galáxias não seguem o conselho da vovó para crescerem saudáveis. Em vez de várias refeições balanceadas, eles comem poucas vezes, mas em quantidades brutais.

É o que sugerem astrônomos na revista "Nature". A equipe liderada por Guido Risaliti, do Observatório Astrofísico de Arcetri, na Itália, mostrou que o buraco negro no núcleo da galáxia NGC 1365 gira em velocidade estonteante: 84% do máximo previsto pela teoria.

Trata-se de um objeto com 2 milhões de vezes a massa do Sol, cuja força gravitacional não permite que nada próximo escape -nem a luz, daí o nome "buraco negro".

Estima-se que esses objetos tenham surgido quase junto com as galáxias, há mais de 13 bilhões de anos, com cerca de 10 mil vezes a massa do Sol -um bocado, mas longe dos até bilhões de massas solares que têm hoje.

Como cresceram tanto? Teriam paulatinamente engolido estrelas ou grandes quantidades de matéria a cada vez? O resultado observado sugere que o crescimento se dá em grandes saltos -possivelmente quando duas galáxias colidem e dois buracos negros se fundem.

Resta saber se NGC 1365 é um caso típico ou se há buracos negros supermassivos de baixa rotação, que cresceram seguindo os conselhos dos nutricionistas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário