24 de fev de 2012

Esfera misteriosa cai do céu em fazenda no interior do Maranhão

Folha de S.Paulo


Objeto de cerca de 30 kg pode ser parte de foguete; moradores falam em alienígenas

Max Mauro Garreto/Arquivo Pessoal



GIULIANA MIRANDA
DE SÃO PAULO

A suposta queda do espaço de uma esfera de metal com cerca de 30 kg assustou moradores da cidade de Anapurus, no interior do Maranhão. Alguns falaram em invasão alienígena e até em indícios do fim do mundo, mas o mais provável é que se trate de lixo espacial.

O objeto caiu em próximo a casas do município, que tem cerca de 13 mil habitantes, na manhã da última quarta-feira. Segundo moradores, antes de cair, a bola ainda teria atingido-e destruído- um cajueiro em uma fazenda.

O comandante da Polícia Militar do município determinou que o misterioso objeto fosse levado à delegacia para averiguações.

O caso fez sucesso em vários blogs do Maranhão e levou uma legião de curiosos à pequena cidade para ver a "bola" misteriosa.

Por meio de sua assessoria, a Aeronáutica afirmou que pretende ir até o local do incidente e recolher o material para estudo.

Gustavo Rojas, astrofísico da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos), acredita que a esfera metálica seja parte de um foguete Ariane 4, usado para o lançamento de cargas pesadas pela ESA (Agência Espacial Europeia).

Ele consultou a base de dados do Centro de Estudos de Reentrada de Lixo Orbital e verificou que o objeto estava para cair em um local e área compatíveis.

Rojas comunicou o incidente ao centro, que já entrou em contato com a agência europeia. O grupo agora pede mais informações, como o horário exato e a latitude e longitude da queda.

"O procedimento correto é chamar as autoridades locais e consultar um especialista para identificar o objeto. É importante fornecer os dados precisos da reentrada porque isso ajuda a previsão de futuras quedas de lixo espacial."

O lixo espacial é um problema crescente, e há milhares de fragmentos orbitando a Terra. Muitos deles são destruídos na reentrada, mas alguns resistem e podem oferecer riscos. Até agora, no entanto, não houve vítimas fatais em acidentes.



Um comentário: