11 de out de 2015

NASA confirma evidências de água salgada na superfície de Marte

Créditos: NASA/JPL/Universidade do Arizona
Dados do satélite Mars Reconnaissance Orbiter (MRO) mostraram recentemente que Marte não é o planeta seco como se imaginava. Manchas escuras observadas na superfície do planeta vermelho podem estar ligadas à presença de água, possivelmente mantida em estado líquido por causa dos depósitos de sal contidos nos declives marcianos - assim como sal jogado nas estradas auxiliam no derretimento do gelo em países cuja neve é abundante.

Astrônomos da NASA observaram que essas manchas aparecem e fluem durante as estações mais quentes e desaparecem quando a temperatura é mais baixa, reforçando a ideia de que as marcas escurecidas estariam associadas ao fluxo de água salgada. A temperatura média no planeta é de -62ºC e a descoberta traz consigo a possibilidade da existência de vida em Marte.

A NASA precisou enviar sondas durante vários anos para desvendar esse mistério, mas a origem da água em estado líquido nos penhascos e paredões na superfície marciana ainda é desconhecida. Dados obtidos pelo estudo levam cientistas a especularem que ela venha de aquíferos salgados, se condense devido a atmosfera ou, em diferentes partes do planeta, uma combinação dos dois fatores.

A descoberta mostra que Marte pode ter sido como a Terra no passado e ter perdido os seus mares e lagos devido a extremas mudanças climáticas. O oceano no planeta vermelho teria existido por aproximadamente 1,5 bilhão de anos e conforme a atmosfera ficou mais fina, a queda na pressão do ar provocou a perda da água, deixando para trás apenas 13% da quantidade de água líquida que Marte um dia teve e nos alertando sobre os possíveis resultados de uma drástica alteração climática no planeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário