19 de nov de 2010

Buraco negro recém-nascido foi descoberto por astrônomo amador

Redação do Site Inovação Tecnológica - 17/11/2010

Se os cientistas profissionais estiverem corretos, o astrônomo amador Gus Johnson poderá se tornar uma espécie de "pai" do jovem buraco negro.[Imagem: X-ray: NASA/CXC/SAO/D.Patnaude et al, Optical: ESO/VLT, Infrared: NASA/JPL/Caltech]
Buraco negro jovem

Astrônomos encontraram indícios de um buraco negro recém-nascido, bem no quintal da nossa vizinhança cósmica.

Com uma idade estimada de 30 anos, o novíssimo buraco negro irá proporcionar uma oportunidade única para que os cientistas acompanhem o desenvolvimento deste tipo de objeto celeste desde sua infância.

O buraco negro vai ajudar a entender melhor como as estrelas de grande massa explodem, deixando para trás buracos negros ou estrelas de nêutrons, além de ajudar a calcular o número de buracos negros existentes na nossa galáxia.

O buraco negro é o que restou da SN 1979C, uma supernova na galáxia M100, a aproximadamente 50 milhões de anos-luz da Terra.

Os dados mais recentes revelaram que esta fonte brilhante de raios X se manteve estável durante o período de 1995 a 2007. Isto sugere que o objeto é um buraco negro que está sendo alimentado pelo material vindo da supernova ou de uma companheira binária.

Pai do buraco negro

A SN 1979C foi descoberta pelo astrônomo amador Gus Johnson, o terceiro homem a descobrir uma supernova em outra galáxia.

Se os cientistas profissionais agora estiverem corretos, Johnson poderá se tornar uma espécie de "pai" do jovem buraco negro, sobretudo porque ele terá assistido ao seu nascimento.

"Se nossa interpretação estiver correta, este é o exemplo mais próximo onde o nascimento de um buraco negro foi observado", concorda Daniel Patnaude, do Centro Harvard-Smithsonian para Astrofísica, nos Estados Unidos, que liderou o estudo.

Vários buracos negros jovens já foram detectados no universo distante antes, sob a forma de explosões de raios gama (GRBs).

Entretanto, a SN 1979C é diferente porque está muito mais próxima e pertence a uma classe de supernovas que muito provavelmente não está associada a um GRB. A teoria prevê que a maioria dos buracos negros no Universo deve se formar quando o núcleo de uma estrela desmorona, sem produzir um GRB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário