15 de ago de 2014

Voyager: O mistério da nave espacial que pode ter superado os limites do desconhecido



A nave Voyager, considerada a invenção humana a alcançar as maiores distâncias na história depois de seu lançamento, em 1977, recentemente voltou a ser objeto de debates nos meios científicos. Um comunicado em 2012 anunciou ao mundo que a Voyager havia finalmente cruzado o limite do espaço do Sistema Solar. No entanto, alguns cientistas contestam esta afirmação. A questão portanto é: onde está realmente a sonda espacial Voyager I?

Especialistas afirmam que a nave estaria vagando pela heliosfera, região do espaço dominada pelo Sol e seu vento, composta por partículas energéticas, ou seja, fora do espaço interestelar. Para comprovar essa teoria, os cientistas desenvolveram um estudo publicado na Geophysical Research Letters. Ele afirma que, se a nave detectar uma mudança no campo magnético nos próximos dois anos, comprovará sua presença na heliosfera. No entanto, se a mudança no campo magnético não ocorrer, a confirmação de que a Voyager I cruzou o limite interestelar será definitiva.

O professor George Gloeckler, um dos autores da denominada “prova final”, explica de forma simples e direta: “Trajetórias são demonstradas com movimento”. O cientista, que desde 1972 trabalha na missão Voyager, diz que a mudança de campo magnético não foi observada, apesar da nave ter emitido diversos indícios de haver chegado ao espaço interestelar, com a exposição a raios cósmicos, por exemplo. As naves gêmeas, Voyager I e II, foram lançadas em 1977 para explorar Júpiter e Saturno. Apesar dos debates com relação ao seu paradeiro atual, não há dúvidas que a Voyager I chegou muito mais longe do que se podia imaginar.


Matéria original: clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário