14 de out de 2010

Brasil ganha quatro medalhas de ouro em olimpíada de astronomia

Scientific American Brasil

O Brasil ganhou quatro medalhas de ouro na II Olimpíada Latino-americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA) , ocorrida de 5 a 10 de setembro em Bogotá, Colômbia. As medalhas de ouro foram trazidas pelos estudantes Lucas Smaira (Guaxupé, MG), Rodrigo Pomgeluppi (Itabira, MG), Richard Martim Souza, (Rio de Janeiro, RJ) e Catarina Neves (São Paulo, SP).


O time brasileiro festeja conquista

E a estudante Helena Wu (Santana do Parnaíba, SP) foi premiada com a medalha de bronze. Ou seja, todos os cinco estudantes brasileiros foram premiados no evento. A equipe foi liderada pelo prof. Dr. João Batista Garcia Canalle, coordenador da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), e pelo professor da Universidade Paulista (Unip) Dr. Julio César Klafke.

Também foram premiados todos os cinco integrantes da equipe brasileira na IV Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, na sigla em inglês), realizada entre 12 e 21 de setembro na capital da China, Pequim. Thiago Hallak (São Paulo, SP) voltou com medalha de prata; Luiz Felipe Martins Ramos (Rio de Janeiro, RJ), Tábata Amaral (São Paulo, SP) e Gustavo Haddad (São José dos Campos, SP) trouxeram bronze; e Tiago Gimenes (São Bernardo do Campo, SP) recebeu menção honrosa.

A equipe em Pequim foi liderada pela profa. Dra. Thaís Mothé Diniz, do Observatório do Valongo, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e por Felipe Pereira, um dos ex-participantes da Olimpíada, doutorando em Física pela Universidade de São Paulo (USP).

Participam da IOAA e a OLAA estudantes de ensino médio de todo o mundo, selecionados a partir suas correspondentes nacionais – como na maior parte das olimpíadas de conhecimento.

No Brasil, os estudantes são selecionados a partir da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) , que se realiza desde 1998. Neste ano, participaram da OBA cerca de 780 mil alunos, distribuídos em 9,2 mil escolas. Dentre esses estudantes, cerca de 100 mil são de ensino médio, faixa da qual são selecionados os membros das equipes. A partir da prova da OBA, cerca de 120 alunos são chamados para um curso semipresencial, ministrado por ex-participantes da olimpíada, durante oito meses. No fim do curso, há uma ou duas provas de seleção, e então definem-se os dez alunos selecionados: cinco para a IOAA e cinco para a OLAA.

A V IOAA será realizada em setembro de 2011, em Gdansk, Polônia. A III OLAA acontecerá no mesmo mês, em Santiago, Chile.

Nenhum comentário:

Postar um comentário