20 de dez de 2010

Sonda Voyager aproxima-se do espaço interestelar

Redação do Site Inovação Tecnológica - 14/12/2010

Concepção artística das duas sondas Voyager conforme elas se aproximam do espaço interestelar.[Imagem: NASA]


Fronteira do Sistema Solar


A odisséia de 33 anos da sondaVoyager 1 alcançou um ponto na fronteira do Sistema Solar onde não existe nenhum movimento do vento solar.

Rumo ao espaço interestelar, a 17,3 bilhões de km do Sol, a Voyager 1 cruzou uma região onde a velocidade do gás quente ionizado, ou plasma, que emana diretamente do Sol, diminuiu até chegar a zero.

Os cientistas suspeitam que o vento solar foi desviado para o lado pela pressão do vento interestelar, emanado da região entre as estrelas.

O evento é um marco importante na passagem da Voyager 1 pela heliosheath, uma parte da heliosfera, a "concha externa" da esfera de influência do Sol - veja mais em Sondas Voyager desvendam enigma interestelar.

"O vento solar virou a esquina", afirmou Ed Stone, cientista do projeto Voyager. "A Voyager 1 está chegando mais perto do espaço interestelar."

Vento solar

Nosso Sol emite uma corrente contínua de partículas carregadas que formam uma bolha, conhecida como heliosfera, em torno do nosso Sistema Solar.

O vento solar viaja a uma velocidade supersônica, até cruzar uma onda de choque chamada choque de terminação. Neste ponto, o vento solar diminui drasticamente de velocidade e se aquece na heliosheath.

Lançada em 5 de setembro de 1977, a Voyager 1 cruzou o choque de terminação em dezembro de 2004.

Os cientistas verificaram que a velocidade do vento solar chegou a zero quando a velocidade das partículas carregadas que atingem o lado da Voyager voltado para o Sol coincidiu com a velocidade da nave.

O fenômeno foi registrado em Junho. Mas como as velocidades podem flutuar, os cientistas acompanharam mais quatro leituras mensais antes de se convencerem que a velocidade do vento solar tinha realmente caído para zero. O valor foi zero em todas as cinco leituras.

Entre as estrelas

Contudo, os cientistas acreditam que a Voyager 1 ainda não cruzou a heliosfera para o espaço interestelar.

A passagem para o espaço interestelar deveria vir acompanhada de uma queda brusca na densidade das partículas quentes e um aumento na densidade das partículas frias. Os dados indicam que isso deverá acontecer dentro de cerca de quatro anos.

A irmã da Voyager 1, a Voyager 2, foi lançada em 20 de agosto de 1977 e está agora a 14 bilhões de quilômetros do Sol, mas em outra direção.

A Voyager 1 está viajando mais rápido, a uma velocidade de cerca de 61.100 km/h, enquanto a Voyager 2 segue a 56.300 km/h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário