15 de set de 2014

Pesquisadores afirmam que um novo planeta Terra pode estar se formando


Uma pesquisa feita com o telescópio espacial Spitzer, da NASA, detectou uma erupção colossal de poeira girando em torno de uma estrela nova. Isso seria consequência do impacto de dois asteroides que se chocaram entre si e que poderiam formar um planeta similar à Terra com o decorrer de milhares de anos.

Os especialistas já vinham rastreando com regularidade a estrela NGC 2547-ID8, a 1200 anos-luz de distância da Terra, na constelação Vela, quando detectaram o surgimento de uma grande quantidade de poeira, entre agosto de 2012 e janeiro de 2013. A equipe de cientistas, sob o comando de Huan Meng, da Universidade do Arizona, não hesitou em atribuir o fenômeno à colisão de dois asteroides gigantes.


Apesar de existir observações telescópicas anteriores sobre as poeiras deixadas em supostas colisões de asteroides como essa, é a primeira vez que os astrônomos conseguiram recolher dados antes e depois do choque de um sistema planetário. Trata-se de um tipo de colisão, que, ao fim, poderá acarretar na formação de planetas rochosos, como a Terra.

Os planetas rochosos surgem a partir de poeira cósmica, girando ao redor de estrelas jovens. Depois de milhares de anos, a poeira cósmica começa a se juntar para formar os asteroides, que, por sua vez, se chocarão uns contra os outros. Alguns asteroides sobreviverão aos impactos para começar a crescer e, em milhões de anos, se transformarão em “protoplanetas”.

Matéria original: clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário