16 de mar de 2012

Fúria do Sol atinge satélite que orbita Vênus e o deixa às cegas

Folha de S. Paulo

SALVADOR NOGUEIRA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Enquanto os terráqueos aguardam com apreensão potenciais danos ligados a uma das maiores tempestades solares dos últimos anos, em Vênus os problemas já começaram. A atividade aumentada do Sol está atrapalhando o funcionamento da sonda europeia Venus Express.

Seus dois rastreadores estelares pifaram depois de uma erupção solar no dia 6.

A espaçonave usa essas câmeras para verificar a posição das estrelas e, com isso, orientar seu posicionamento em órbita. É mais ou menos o mesmo procedimento adotado pelos antigos navegadores, que usavam as estrelas como referência.

A atividade solar, que vem aumentando nos últimos tempos e é mais problemática em Vênus do que na Terra (uma vez que aquele planeta está mais perto do Sol), já causou panes temporárias da Venus Express antes.
Entretanto, o recorde de interrupção das operações dos rastreadores foi de 32 horas. A atual parada é o novo recorde e completou mais de 40 horas na tarde de ontem (09/03).

Foram interrompidas as observações científicas da sonda, enquanto o controle da missão trabalha para preservar a espaçonave.

A torcida é para que, a exemplo das panes anteriores, o dano seja temporário.

"O longo tempo inoperante e o fato de os dois sensores terem parado simultaneamente são preocupantes", diz Petrônio Noronha de Souza, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Segundo ele, é difícil fazer previsões. "Pode ser um fenômeno transitório, até que o Sol se acalme, mas também pode haver um dano permanente na circuitaria do sensor", o que seria bem mais complicado para a sonda.



Nenhum comentário:

Postar um comentário