17 de mai de 2012

Procurando Ligações de ETs

SCIENTIFIC
AMERICAN Brasil


Telescópio gigante começará busca por primeiras estrelas e galáxias

por Charles Q. Choi e Space.com

Cortesia da Top-foto, Assen (LOFAR); 
Estação do Lofar na Holanda. 

Em breve, mais de 44 mil antenas de rádio serão conectadas pela internet para criar um dos mais ambiciosos radiotelescópios já construídos. Seu trabalho será o de investigar frequências de rádio bastante inexploradas, caçando as primeiras estrelas e galáxias e, talvez, sinais de inteligência extraterrestre. O experimento foi projetado para monitorar ondas de rádio de baixa frequência. Uma das principais fontes desse tipo de emissão provém de sinais extraordinariamente fracos do frio gás hidrogênio que dominava o Cosmos durante a chamada “Idade das Trevas” do Universo. Conforme as estrelas começaram a nascer, foram deixando cicatrizes no hidrogênio. Por meio da análise de como os sinais de rádio desse gás se alteraram no decorrer do tempo, os cientistas podem aprender muito sobre como as primeiras galáxias se formaram. 

O Low Frequency Array (algo como Arranjo de Baixa Frequência, ou Lofar) será formado por grupos de antenas em 48 estações na Holanda, Alemanha, França, Suécia e no Reino Unido, conectadas por cabos de fibra óptica. Um supercomputador combinará os sinais dessas estações, transformando o arranjo naquilo que pode ser o mais complexo e versátil radiotelescópio já imaginado, considera Heino Falcke, presidente do conselho do Telescópio Internacional Lofar.

O projeto está previsto para ser concluído neste final de semestre e terá a capacidade de varrer o céu do hemisfério norte inteiro em 45 dias. Considerando-se tudo, o Lofar terá uma resolução máxima equivalente a um telescópio de 620 milhas (quase mil km) de diâmetro. Além disso, o projeto é expansível, o que significa que os pesquisadores poderão adicionar novas estações, explica Michael Wise, do Astron, o Instituto Holandês de Radioastronomia. O Lofar também é capaz de medir eventos com duração de cinco bilionésimos de segundo. Como se isso não fosse o bastante, o fato de o Lofar ser essencialmente um grupo de vários radiotelescópios funcionando em conjunto significa que ele pode executar, por exemplo, três projetos científicos ao mesmo tempo, calcula Wise.

Nos próximos anos, o arranjo também varrerá os céus procurando por emissões de rádio artificiais como parte da busca por inteligência extraterrestre (Seti, na sigla em inglês) em frequências mais baixas, que foram negligenciadas pelas missões Seti anteriores.





Nenhum comentário:

Postar um comentário