21 de out de 2011

Satélite brasileiro vai estudar anomalia magnética no Atlântico

Inovação Tecnológica

Índia, Brasil e África do Sul pretendem construir e lançar um satélite artificial para monitorar uma anomalia magnética do Atlântico Sul. O acordo foi assinado durante a reunião dos líderes dos três países na África do Sul, nesta semana.
A anomalia magnética do Atlântico Sul é uma interferência magnética que causa ruídos e problemas de comunicação em satélites desta região, mas sobre a qual os cientistas sabem pouco.
Acredita-se que ela seja gerada por um "mergulho" do campo magnético da Terra em direção à superfície, que ocorre nesta região por um deslocamento do campo magnético terrestre em relação ao seu centro geográfico.
O satélite será construído principalmente com tecnologia brasileira. A África do Sul será responsável pela construção da plataforma de lançamento e o foguete será fornecido pela Índia.
Segunda tentativa

Segundo o Ministro da Ciência e Tecnologia, Aloísio Mercadante, será um satélite leve, que poderia ser lançado em qualquer um dos foguete indianos.
A expectativa é que o lançamento do satélite, informalmente chamado IBAS (iniciais dos três países) seja realizado até 2015.
De concreto, porém, o anúncio envolveu apenas a marcação de uma reunião a ser realizada na Índia para "traduzir o conceito do satélite IBAS em ação," segundo o comunicado oficial.
Este mesmo anúncio, sem a marcação da reunião, havia sido feito em 2010, quando os presidentes da África do Sul e da Índia vieram ao Brasil.
Naquela ocasião, porém, a ideia era de construir dois satélites.



Nenhum comentário:

Postar um comentário