13 de out de 2011

Uma arca de 'estrelas falidas'

Blog Só Ciência




Astrônomos da Universidade de Toronto, no Canadá, descobriram mais de duas dúzias de “estrelas falidas” conhecidas como anãs marrons em dois aglomerados próximos à Terra. Um desses objetos tem apenas seis vezes a massa de Júpiter mas flutua livremente pelo espaço, sem estar ligado a nenhuma estrela. Isso reforça a teoria de que o Universo está cheio de corpos celestes solitários que caminham na fronteira entre estrelas e planetas, além de mostrar que a Natureza tem muitas opções na formação de astros.

A anãs marrons são muitas vezes descritas como “estrelas falidas” por brilharem muito quando jovens devido ao calor de seu processo de formação, mas depois esfriarem gradualmente até exibirem atmosferas com características planetárias. Os cientistas acreditam que a maioria das anãs marrons se formaram como estrelas, isoladas em sua própria nuvem de gás, que no entanto não lhes garantiu massa suficiente para iniciarem reações termonucleares em seus núcleos. Algumas, no entanto, podem ser planetas que foram expulsos de seus sistemas em batalhas gravitacionais com suas estrelas ou planetas-irmãos.



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário