19 de jan de 2011

Divulgada a maior imagem já feita do Universo

Ministério da Ciência e Tecnologia
11/01/2011


Foi divulgada na tarde de hoje, no 217º encontro da American Astronomical Society, a maior imagem já feita do Universo. Ela levou uma década para ser montada e tem mais de um trilhão de pixels, o que significa que seriam necessárias 500 mil TVs Full HD, uma ao lado da outra, para visualizá-la na sua resolução máxima. Ela faz parte da oitava divulgação de dados (Data Release 8) do Sloan Digital Sky Survey (SDSS), sendo a primeira da fase três do projeto (SDSS 3).

O SDSS é o projeto que teve, até agora, o maior impacto na astronomia mundial. Suas imagens são a base de projetos abertos ao público em geral como o Galaxy Zoo (www.galaxyzoo.org), em que 250 mil voluntários ajudaram a classificar milhões de galáxias captadas pelo SDSS, e o Google Sky (http://www.google.com/sky). Um zoom da imagem pode ser visto em http://www.youtube.com/watch?v=HyMnSyYE1b0.

A participação brasileira no projeto é coordenada pelo recém-criado Laboratório Interinstitucional de e-Astronomia (LineA), sob a direção do astrofísico do Observatório Nacional (ON/MCT) Luiz Nicolaci da Costa. A equipe nacional participa tanto das pesquisas científicas quanto da distribuição dos dados, que é feita por meio da infraestrutura computacional montada para o LineA.

Com investimentos de cerca de R$ 5 milhões, o laboratório está armazenando 12 terabytes de dados provenientes do SDSS. Formado por pesquisadores do ON, do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF/MCT) e do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC/MCT), todas instituições do Rio de Janeiro, o LineA também publica hoje a sua página na internet: www.linea.gov.br.

“O LineA é um dos poucos exemplos de integração entre três institutos de pesquisa do MCT”, diz Nicolaci, que é PhD em física pela Universidade de Harvard (1979) e passou a maior parte de sua carreira trabalhando em instituições como o Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics e o European Southern Observatory (a organização européia para pesquisas astronômicas).

O laboratório é uma evolução do projeto estruturante do ON Astrosoft e do workshop internacional Uma Impressão sobre o Futuro da Astronomia (A Glimpse into the Future of Astronomy) - http://www.on.br/glimpse/program.html), realizado em 2008 por ocasião dos 180 anos do ON, que teve ainda uma segunda parte chamada A Nova Astronomia: o Desafio dos Dados (New Astronomy: The Data Chalenge)http://www.on.br/newastronomy/program.html).

Na ocasião, estiveram no ON cientistas responsáveis por alguns dos maiores projetos da astronomia nesta década, com valores superiores a US$ 10 bilhões. Eles debateram sobre as necessidades de infraestrutura de TI para lidar com a avalanche de dados gerada por esses projetos, que exigem grandes sistemas de armazenamento, portais especializados para acesso aos dados e redes de alta-velocidade. O LineA, que já opera com acesso de 500 Mbps à internet, está focado nessas questões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário