31 de jan de 2011

Terceira Revolução: cientistas defendem convergência científica


Com informações do MIT - 24/01/2011


Um novo modelo para a pesquisa científica, batizado de "convergência", tem potencial para permitir avanços revolucionários na biomedicina e em outras áreas da ciência.

A proposta foi defendida por um grupo de 12 pesquisadores do MIT (Massachusetts Institute of Technology), nos Estados Unidos, durante um fórum organizado pela Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS).

O poder da convergência

Segundo os pesquisadores, a tendência da convergência - que envolve a fusão das ciências da vida, física e engenharia - pode promover as inovações necessárias para atender, por exemplo, à crescente demanda por cuidados de saúde acessíveis, com preços acessíveis.

"A convergência é um repensar amplo na forma como toda a investigação científica pode ser realizada, para que possamos capitalizar uma série de bases de conhecimento, da microbiologia à informática, passando pelos projetos de engenharia," afirmou Phillip Sharp, Nobel de Biologia em 1993 e um dos autores do relatório.

"Ela envolve a colaboração entre grupos de pesquisa, mas, mais profundamente, a integração das abordagens disciplinares que eram originalmente vistas como separadas e distintas. Esta fusão de tecnologias, processos e dispositivos em um todo unificado irá criar novos caminhos e novas oportunidades para o avanço científico e tecnológico," disse Sharp.

Terceira Revolução

Sharp e os outros autores do artigo afirmam que a convergência tem potencial para criar uma "Terceira Revolução" na área da biomedicina, que poderá ser tão profunda quanto as duas revoluções das ciências da vida que a precederam: as descobertas que acompanharam o desenvolvimento da biologia molecular e celular, e o sequenciamento do genoma humano, que tornou possível identificar as bases genéticas de muitas doenças.

A convergência também fornece as bases para lidar com os desafios médicos e de saúde do futuro, que só irão aumentar com a maior longevidade da população, quando doenças como o Alzheimer irão se tornar mais prevalentes.

O relatório, "A Terceira Revolução: A Convergência das Ciências da Vida, Ciências Físicas e Engenharia", destaca o impacto que a convergência já está tendo em vários campos.

Assim como os avanços na tecnologia da informação, de materiais, imagens, nanotecnologia e áreas afins - juntamente com os avanços em modelagem computacional e simulações- transformaram as ciências físicas, da mesma forma eles estão começando a transformar as ciências da vida.




Os cientistas afirmam que a convergência tem potencial para gerar uma "Terceira Revolução" na área da biomedicina, que poderá ser tão profunda quanto as duas revoluções das ciências da vida que a precederam.
[Imagem: Sharp et al./MIT]


O resultado são novos campos de pesquisas relacionados à biologia, tais como abioengenharia, biologia computacional, biologia sintética e engenharia de tecidos.

Ao mesmo tempo, modelos biológicos, voltados ao entendimento de sistemas auto-organizados complexos, já estão transformando a engenharia e as ciências físicas, tornando possíveis avanços na área de biocombustíveis, alimentos, automontagem viral e muito mais.

Cientistas da convergência

O relatório dá uma ênfase especial à biomedicina, um campo que já está sendo transformado pela convergência.

Por exemplo, os cientistas estão usando nanopartículas para transportar e liberar drogas anticâncer diretamente nas células cancerosas, para desenvolver medicamentos que combatem doenças sem danificar os tecidos e as células saudáveis, e para melhorar os modelos preditivos das doenças.

O relatório afirma que o sucesso do modelo de convergência depende de um apoio financeiro adequado e de incentivos a pesquisas que cruzam as fronteiras das áreas tradicionais de pesquisa.

Entre outras recomendações do relatório estão o estabelecimento de um "ecossistema de convergência", que poderia criar conexões entre as agências de financiamento, a reforma do processo de revisão por pares para dar apoio a financiamentos interdisciplinares, e a formação e apoio a uma nova geração de cientistas da convergência.

Bibliografia:

The Third Revolution: The Convergence of the Life Sciences, Physical Sciences and Engineering
Phillip A. Sharp, Charles L. Cooney, Marc A. Kastner, Jacqueline Lees, Ram Sasisekharan, Michael B. Yaffe, Sangeeta N. Bhatia, Tyler E. Jacks, Douglas A. Lauffenburger, Robert Langer, Paula T. Hammond, Mriganka Sur
January 2011


Nenhum comentário:

Postar um comentário